Home
Sistema redes
Quem somos
Notícias e Atualizações
Documentos Técnicos
Você participa
 
Veja também »
14/09/2009
Pedágios urbanos não solucionarão um problema ambiental
11/08/2009
A lei e os mototaxistas
16/07/2009
Os desafios de transportes do Rio
31/07/2009
Matriz energética: biomassa no lugar de combustíveis fósseis
19/05/2009
Transporte público e a candidatura do Rio
12/05/2009
A hora e a vez de uma política de preços para combustíveis
24/03/2009
Respostas do campo às crises econômica e ambiental
27/05/2009
Sustentabilidade e vantagem competitiva
25/08/2008
A vez de Manchester
25/08/2008
Ele voltou!
24/01/2008
Quatro vezes sem carro
29/04/2008
O melhor jeito de chegar lá
18/05/2006
A utilização do Biodiesel no Transporte Urbano
19/11/2008
Transporte rápido por ônibus
17/12/2008
A crise do transporte público
10/11/2008
Certificação ISO 14001 eleva o desempenho verde da Sound Transit
22/09/2008
Uma alternativa que deu certo
09/10/2008
Transporte público: Vital para o futuro da Austrália
09/10/2008
Hidrogênio como combustível: BVG testa operação com ônibus livre de CO2.
15/10/2007
O biodiesel e os desafios da inovação
13/08/2008
O Transporte Urbano e o Meio Ambiente
10/09/2008
A mobilidade urbana pede socorro
10/09/2008
Incentivando o uso de biocombustíveis no transporte público
12/09/2008
Poluidores em dívida
05/09/2008
Uso do transporte coletivo supera individual na Grande SP
04/08/2008
Brasil deve explorar mais a tecnologia diesel
29/05/2008
São Paulo está perdendo a mobilidade e se tornando cada vez menos eficiente
19/06/2008
Verdades e mentiras em torno dos biocombustíveis
01/03/2008
Hora de decisão
01/03/2008
Nação de consumidores
01/03/2008
Uma função muito privada
19/06/2008
Ferroviário e rodoviário têm de atuar juntos
20/05/2007
Prioridade para o transporte coletivo: a vez dos BRTs
13/05/2008
Biocombustíveis: obstáculos e avanços
26/08/2007
Os desafios do transporte coletivo
16/04/2008
Demagogia e subsídios contra os biocombustíveis
17/04/2008
O que é, afinal, pedágio urbano?
18/04/2008
Etanol - reagindo ao tiroteio global
20/03/2008
O trânsito em São Paulo e as alternativas para melhorá-lo
23/04/2008
Em meio a críticas, biocombustíveis preparam sua segunda geração
25/02/2008
transporte-transito
22/01/2008
O Brasil tem condições técnicas de reduzir a porcentagem do enxofre no diesel?
29/01/2008
Biodiesel e agricultura familiar
18/02/2008
A hora e a vez dos bondes e metrôs
29/01/2008
Sem manutenção preventiva, o Metrô pára!
20/02/2008
O diesel brasileiro é prejudicial à saúde
07/02/2008
O biodiesel na hora da verdade
21/02/2008
Avaliação do transporte: Estamos incluindo todos os benefícios?
05/12/2007
Capital chinesa acelera implantação de corredores
27/02/2008
O transporte urbano nas eleições
23/01/2008
O custo do Fura-fila
27/01/2006
Legal é usar o vale-transporte
14/09/2007
O espaço público de circulação e a ocupação desigual
08/01/2007
Transporte público coletivo X tarifas
03/10/2007
Pressão popular contra o aquecimento global
14/01/2008
Programa do biodiesel é exemplo para o mundo
24/09/2007
Financiamento da infra-estrutura de transporte público
01/04/2007
Transporte público em Xangai: passado, presente e futuro
27/09/2007
Equipes de alta performance!
28/09/2007
Economista cruza dados da Cetesb, do SUS e do Detran
01/05/2007
Sistema de faixa de ônibus intermitente: Projeto de demonstração em Lisboa
26/07/2007
No transporte urbano, a hora é esta
01/05/2007
Troca de frota, quem se beneficia: o passageiro ou o empresário?
05/09/2007
Redução de custos e maximização de recursos na indústria de ônibus urbanos.
21/08/2007
Transporte público gratuito: marketing ou estratégia política?
14/08/2007
A infra-estrutura rodoviária e a competitividade
15/08/2007
País merece um ônibus melhor
01/10/2000
O transporte pode ajudar na luta contra a pobreza
24/11/2006
Como não matar nossa velha mãe
06/06/2007
Os excluídos do transporte urbano
06/06/2007
De problema a solução
08/06/2007
Busque a certificação. Faz bem para os lucros
01/04/2007
A todo vapor
14/05/2007
Proconve 6, o desafio
21/05/2007
Sistemas de transporte inteligentes
23/11/2006
Mobilidade Urbana: Saídas para o tráfego
16/04/2007
Biodiesel não é óleo vegetal
13/03/2007
Frota de carros engrossa
27/10/2003
Paraíso para pedestres
12/03/2007
O corredor suspenso
04/03/2005
Pavimento de concreto: feito para durar
25/04/2007
Trem bala e sua estrutura ao redor do mundo
17/05/2007
A mobilidade de uma nova era
09/02/2007
Biodiesel: Ovo de Colombo ou História da Carochinha?
26/06/2005
Biodiesel: mais uma oportunidade perdida?
06/05/2005
Os desafios da mobilidade sustentável
28/01/2006
A ferrovia pede passagem
31/01/2007
Cobrança de uso de estradas e como ela pode afetar a provisão de transporte público no Reino Unido
09/02/2007
Europa propõe limite de emissões de CO2 em veículos novos
18/01/2007
Pequim acelera o desenvolvimento do sistema de transporte público antes dos jogos olímpicos de 2008.
19/01/2007
BRT ou não?
17/01/2007
Operações de ônibus em Cingapura – Alcançando qualidade e serviço barato com viabilidade financeira
16/01/2007
Reestruturando o transporte público em Kaunas - Lituânia
15/01/2007
BRT estilo francês ou Bus à Haut Niveau de Service (BHNS)
01/10/2006
O exemplo da Colômbia
22/01/2007
Transantiago: redesenhando o transporte público em Santiago, Chile
11/02/2008
O que são Créditos de Carbono?
13/11/2006
Metrobús: o fim do martírio dos usuários na capital mexicana
02/01/2006
Pequenas obras, grandes resultados
25/10/2006
Combustível feito à base de grãos pode aliviar a demanda por diesel e diminuir o impacto no efeito estufa
11/08/2005
Concepção do manual de projeto e dimensionamento de terminais de ônibus urbanos
17/07/2006
Riscos do subsídio federal para o transporte urbano
24/10/2006
Sem soluções operacionais, ou de acessibilidade para acompanhar o crescimento das cidades, o transporte público continua em crise
17/10/2006
O transporte da próxima década começa hoje
29/09/2006
Mobilidade urbana, meio ambiente e... eleições
22/09/2006
Economias de escala do usuário no transporte público
21/10/2005
Sem acessibilidade, perdem-se oportunidades
01/08/2006
Informação ao cliente utilizando tecnologia VoIP
14/08/2003
GESTEC – gestão de sistemas de transporte público
08/08/2005
Os vários impactos do bilhete único em São Paulo e na sua região metropolitana
10/04/2004
Transporte coletivo integrado e bem planejado é prioridade
14/04/2006
O transporte público e a mobilidade na transformação da cidade
01/01/2006
A quem interessa o pagamento em dinheiro?
16/03/2006
A vitória da união e do bom senso
11/08/2005
Estratégia energético-ambiental: ônibus com célula a combustível
15/01/2006
A Importância dos Caminhos Metropolitanos
25/06/2006
Os sistemas de transportes
04/04/2005
Sistemas Integrados de Transporte: considerações e reflexões
08/03/2005
Você sabe qual a diferença entre PPPs, Privatizações e Concessões?
02/05/2006
A vocação brasileira para os biocombustíveis
16/12/2005
Biocombustíveis como bens ambientais: proposta para a paz mundial
08/11/2004
Novo Modelo de Gestão e Remuneração das Subconcessionárias do Serviço Público de Transporte Coletivo por Ônibus do Município de Belo Horizonte
06/06/2006
Nova gestão e readequação de quadro de funcionários da Gatusa transportes, com apoio de software de programação.
01/05/2004
Gestão Metropolitana do Transporte Público
06/06/2006
Resultado da implantação de novo modelo de gestão e remuneração dos serviços de transporte coletivo de Belo Horizonte
06/06/2006
Apresentação dos ganhos obtidos com o reconhecimento das estratégias desenvolvidas pelos funcionários
29/06/2006
Serviços gratuitos: Uma ilusão e ameaça ao transporte público
03/07/2006
Índices de inflação: a hora é de avançar, mas com cautela.
28/09/2005
Qual o melhor combustível para o transporte coletivo urbano no Brasil?
01/07/2005
Municípios Investem na Reestruturação dos Sistemas de Transporte
01/07/2005
Novas Tendências de Política Tarifária no Brasil
11/04/2005
O Futuro Elétrico
Clique aqui para enviar seu artigo.
01/11/2007 | GRUPO E - ASPECTOS ORGANIZACIONAIS
Mais de 30 milhões de passageiros em ônibus e trens durante a Copa do Mundo de futebol.
Por: Friedhelm Bihn

No total, as redes de ônibus e trens nas 12 cidades sede da Copa do Mundo (Berlim, Cologne, Dortmund, Frankfurt am Main, Gelsenkirchen, Hamburg, Hanover, Kaiserslautern, Leipzig, Munich, Nuremberg e Stuttgart) e a Deutsche Bahn AG transportaram mais de 30 milhões de passageiros diariamente durante as quatro semanas  da Copa do Mundo de futebol – um resultado muito além das previsões feitas pelos organizadores. Logo, os operadores de transporte e associações de transporte da Alemanha aproveitaram a oportunidade durante a Copa do Mundo para apresentar os sistemas de transporte público eficientes do país a um público mundial e aumentar significativamente a imagem do transporte público na Alemanha.

 

Uma estréia na Copa do Mundo: Tíquetes combinados

 

Um fator contribuinte chave para esta história de sucesso foi o fato de que, pela primeira vez na história da Copa do Mundo da FIFA, um tíquete combinado foi expedido, que não somente serviu como ingresso para uma partida, mas também era válido para viagens nos serviços de ônibus e trens. Para as 12 cidades-sede, a VDV (Associação de operadoras de transporte alemãs) negociou um acordo com a FIFA de forma que os ingressos das partidas sejam usados como passagens de 24 horas no dia do jogo, das horas iniciais até as horas iniciais do dia seguinte, para viagens ilimitadas por ônibus e trens nas redes respectivas das associações de transporte nas 12 localidades da Copa do Mundo. Mais de dois milhões de visitantes utilizaram dos serviços de ônibus e trens no curso das 64 partidas. Isto significa que mais de 65 por cento dos espectadores usaram modos de transporte público, excedendo confortavelmente o alvo da FIFA de ter metade dos espectadores utilizando transporte público para acesso fácil aos estádios. Este alvo também fez parte do conceito revolucionário do “Gol Verde” da FIFA, cortesia sobre a qual a primeira Copa do Mundo ecologicamente correta foi montada.

 

As respostas às partidas mostradas em telões gigantes e aos eventos de “festas de fãs” também excederam grandiosamente as expectativas, com mais de 14 milhões de visitantes loucos por futebol atendendo essas reuniões. Já que a maioria destas festas foi organizada nos centros das cidades, o percentual de fãs com vagens saindo ou chegando delas por ônibus ou trens alcançou 90% em muitos casos.

 

Os 15.000 voluntários da FIFA também viajaram pelas cidades-sede da Copa do Mundo por ônibus e trens, seguindo um acordo entre a FIFA e a VDV juntamente com as operadoras e associações de transporte para oferecer viagens gratuitas aos voluntários durante a Copa do Mundo.

 

Por várias semanas, o fluxo maciço de passageiros extras nos serviços de ônibus e trens colocou demandas extremamente elevadas nas capacidades de operadoras e associações de transporte – em muitos casos forçando-os até o limite. A equipe de transporte, incluindo motoristas assim como pessoal de serviços e segurança além de operadores de salas de controle, mostrou motivação admirável e uma tremenda devoção ao trabalho. Outros empregados estavam sempre disponíveis para prover assistência rápida, por exemplo, lavadores e pessoal despachado para reparar instalações técnicas com defeito como alto-falantes, displays de vídeo, escadas rolantes, elevadores e máquinas automáticas de tíquetes. Serviços adicionais de ônibus e trens foram operados e serviços mais freqüentes e com horários mais longos foram disponibilizados até as madrugadas – inclusive quando as partidas iam para a prorrogação ou quando eram decididas nos pênaltis. No total, as cidades-sede divulgaram nenhuma ocorrência séria de interrupção dos serviços.

 

Serviços eficientes de trens

 

Em todas as cidades da Copa do Mundo, o investimento na infra-estrutura de transporte ajudou a garantir que os passageiros de ônibus e trens fossem capazes de chegar tanto aos estádios quanto às “festas de fãs” rapidamente e convenientemente. No total, 802 milhões de euros foram investidos em medidas na infra-estrutura de transporte público. 55 milhões de euros adicionais foram destinados a provisão de pontos de informação para facilitar aos visitantes achar seus destinos.

 

Todos os 12 estádios foram servidos por alguma forma de modo sobre trilhos de alta capacidade (trens urbanos, metrô, VLT). De fato, vários estádios tinham suas conexões próprias de metrô e trens urbanos. As operadoras de transporte em várias cidades sedes expandiram suas frotas de veículos ao simplesmente combinar as aquisições de novos ônibus e trens com a Copa do Mundo.

 

Os novos veículos foram entregues em tempo enquanto os veículos mais antigos foram mantidos em serviço por um período um pouco maior. Isto, juntamente com o desembarque de veículos reservas e a quilometragem diária maior gravada por veículos individualmente, tornou possível produzir uma capacidade de ônibus e trens sem a necessidade de adquirir veículos especialmente para a copa do mundo.

 

Para seus acordos de assinatura para a Copa do Mundo, a VDV uniu forças com operadoras e associações de transporte para desenvolver um sistema uniforme e modular facilitando tanto componentes padronizados internacionalmente quanto regionalmente aplicados. Com raras exceções, relatos locais apontaram fluxos de tráfego tranqüilos nos serviços de TP e nos percursos dos pedestres.

 

Informação compreensível

 

Para promover os fãs com informação, as empresas de transporte disponibilizaram profissionais nos veículos, nas plataformas, nos pontos de serviço e transbordo, e também em call centres e sites da internet. Uma quantidade ampla de material com informação impressa também foi produzido. Inglês, Francês e Espanhol foram usados juntamente com o Alemão como padrão em todas as 12 cidades sede. O objetivo das empresas de transporte foi o de oferecer pelo menos as línguas dos times jogando partidas na área. Em toda a Alemanha, a revista “Focus”, em conjunto com a VDV, publicou um encarte (“Copa do Mundo de Futebol – Guia dos Estádios – Cada Cidade, Cada Partida”), 800.000 cópias de cada foram distribuídas como um suplemento no início de maio de 2006. Mais 100.000 cópias foram distribuídas localmente por operadoras e associações de transporte. O encarte continham informações gerais sobre as partidas e o serviços de TP assim como todas os detalhes necessários sobre as 12 cidades sede, como chegar aos estádios convenientemente e rapidamente, e festas dos fãs e outros eventos da Copa do Mundo. A revista “Focus” traduziu o encarte para o português e o incluiu como um suplemento à revista nas áreas onde essa era a língua dominante. Informações mais detalhadas para os fãs também foi providenciada como cortesia de um portal de internet especialmente desenvolvido (www.mit-bus-and-bahn-zur.WM.de). Visitantes poderiam obter informações de viagens porta-a-porta nas quatro línguas oficiais da FIFA, incluindo relatórios de problemas e quaisquer mudanças na agenda que afetasse os modais de transporte.

 

A publicidade conjunta da VDV tinha um slogan desenvolvido para a Copa do Mundo “Nos carregamos 27 milhões de vocês diariamente. Você pode notar um ou dói novos rostos”, mostrando a importância do TP para uma Copa do Mundo de sucesso. As propagandas eram divulgadas nacionalmente nos jornais de domingo, publicações aos consumidores, periódicos de esportes e revistas políticas e de notícias.

 

Após o evento, uma “análise” da Copa do Mundo foi realizada em Frankfurt am Main no fim de agosto de 2006 providenciou uma oportunidade para que as experiências ganhas sejam trocadas entre parceiros e passadas adiante a colegas de empresas e associações de transporte na Suíça e Áustria como um foco nos campeonatos europeus de futebol sendo sediados nestes dois países em 2008.          

Desenvolvido por:
NTU - Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos
© Copyright 2019 - Todos os direitos reservados. | suporte: ntumaster@ntu.org.br | Tel: 2103-9293